Diretor de fotografia, artista visual, documentarista, retratista
Fotógrafo há 20 anos, baseado na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Tive como escola o fotojornalismo, período em que colaborei com os principais veículos de comunicação do Brasil, EUA e Europa veículos como The New York Times, International Herald Tribune (EUA), The Guardian e Leros Magazine (Inglaterra), Rondo Magazine e Focus (Alemanha). No Brasil, tive imagens publicadas nas revistas Veja, Rolling Stone, Época, IstoÉ, Playboy, Contigo, Lance! A+, Laboratório Pop, Rock Press, Jornal O Globo, Jornal do Brasil, Lance. Produzi retratos para publicidade, editoriais e publicações corporativas. Realizei exposições individuais e coletivas, "Fotografia é arte?", “Deus?”, “Ensaio Lit.”, “Do lúdico ao lúcido” e tenho fotos minhas em acervos particulares de colecionadores brasileiros.
O estudo permanente que deslumbro sobre a Fotografia caminha em torno da antropologia, da diversidade e das diversas manifestações socioculturais ao redor do planeta.
A proposta primordial é criar documentários ensaísticos, que retratem a interação do Ser Humano com meio em que vive. As tribos sociais são muito ricas, vivas, orgânicas. Daí a minha necessidade em documentar as pessoas com a maior riqueza de detalhes possíveis, para buscar interpretar os imensos quebra-cabeças acerca do universo humano nesse início de milênio.
Retratos que possam ir além do mero registro; que sirvam de documento histórico de uma época. Os fotógrafos fizeram com empenho e afinco esse trabalho no início do século XX, se estendendo até a década de sessenta. A partir daquele momento, a diversidade, as reformas e as atualizações das vivências começaram a diluir as ideias e a história cultural dos diversos períodos correspondes à evolução da espécie humana.
Minha construção do trabalho fotográfico, tanto documental como artístico, passa pela forma de vestir, usar artefatos, os meios que se inserem, as influências que exercem e sofrem no convívio entre os iguais e demais seres da natureza. Ao artesanato da captação de imagens tem como pretensão, por fim, a representação do "eu" na complexidade existencial.
+55 21 98753 1971
Back to Top